Literatura Errante

Entre ou Cadastre
palavras que encantam, corações que se conectam

Vivo ou morto

Poesia "Vivo ou Morto", por Ruan Vieira

Ouço gritos na cidade

Pedidos por socorro

Jogos de identidade

Nessa guerra se não vivo, morro.

Vivo ou morto.

Ouço as crianças chorarem

Não por medo, mas por comida

Com medo estão os jovens

Dessa longa estrada da vida.

Vivo ou morto.

Vejo sangue na cidade

Vejo sangue em sua mão

Pra morrer não tem idade

Vejo só corpo, não coração.

Vivo ou morto.

Prisioneiros na cidade

A liberdade foi vendida

Melhor entrar na porta da verdade

do que na porta da mentira.

Um suicida.

A juventude está perdida

O poder está nas mãos

de governantes que não valem nada

Vendem sua alma por cifrão.

Não tem saída.

Gostou? Que tal compartilhar com alguém que também vai gostar?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no tumblr
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Sobre o(a) Autor(a)

Poeta, contista e cronista, natural de Aracaju, Sergipe. Imergiu muito cedo na literatura, em seus escritos, seja em verso ou prosa, aborda temáticas sociais, líricas e filosóficas. Participou da Antologia “No fim tem Poesia” de 2021, publicada digitalmente pela editora Taba Cultural. Tem seus textos divulgados em redes sociais (Instagram e Facebook) e sites (Recanto das Letras e Wattpad).
ruanviera999@gmail.com

Publicações Recentes

Aflorismo
cassiopignatari
Poesia

Siga-nos

Assista ao Literatura Errante

0
Seu carrinho ainda está vazio!

Parece que você ainda não adicionou nada ao seu carrinho.

Browse Products
Powered Voltage Emoji by Caddy

Entre ou cadastre-se para fruir plenamente do
LITERATURA ERRANTE.

É grátis!